"Não importa para onde vamos ou de onde voltamos. O que importa são as experiências únicas e os cenários surpreendentes com que nos deparamos. Viajamos em busca do que a vida pode nos revelar, num verdadeiro banquete de sabores, cores e sons."
E confesso: não tem graça nenhuma viajar e não contar para alguém, mostrar as fotos, compartilhar....
Voltar para casa também é uma experiência maravilhosa que só podemos sentir quando viajamos.


Várias fotos que ilustram as postagens são retiradas da Net.

Mérida - Espanha



Mérida, fundada em 25 a.C. com o nome de Emerita Augusta, foi durante a ocupação romana uma das mais importantes cidades da Península Ibérica, capital da Lusitânia. Possui vários testemunhos desse passado, tais como o teatro e o anfiteatro romanos, entre outros.







O Teatro Romano de Mérida foi mandado construir pelo cônsul Marco Vipsânio Agripa e inaugurado, possivelmente, entre os anos 16-15 aC.



Desde 1933 alberga o Festival de Teatro Clássico com o qual recupera a sua função original.




Está composto por um terraço com capacidade, no momento, para 6 000 espectadores, divididos em três zonas, pela orquestra, lugar em que nas representações ocupava o coro, o palco e por último o cenário.


Está composto por um terraço com capacidade, no momento, para 6 000 espectadores, divididos em três zonas, pela orquestra, lugar em que nas representações ocupava o coro, o palco e por último o cenário.

Merida faz parte dos 12 Tesouros da Espanha e  

Património Mundial em 1993 pela UNESCO.”



O anfiteatro foi inaugurado no século VIII a.C. Tem uma forma oval e uma capacidade para 14.000 pessoas. Era destinado a lutas entre gladiadores e a corridas.


O anfiteatro é composto por seis partes principais: a arena (coberta de areia), onde se davam as lutas e corridas; o local destinado às feras e a luta com os gladiadores; os corredores (passagens); a spolania, local destinado aos gladiadores; o podium, onde se recebiam os prémios; os corredores de entrada e saída.


O anfiteatro é ainda composto por três anéis, um fosso e as bancadas para os espectadores, nas quais uma parte era reservada às autoridades que patrocinavam os espectáculos e outra às entidades políticas da cidade.


 Este monumento esteve soterrado durante centenas de anos e só há algumas décadas é que foi descoberto, embora infelizmente tivesse a parte de cima destruída.






O anfiteatro faz parte do Conjunto Arqueológico de Mérida, um dos maiores conjuntos arqueológicos da Espanha.





Alel, Nelda, Santiago (Argentina) Santo e Magda (Araras) Neyd e João (Campinas) Euripedes, Delma, Terezinha e Francisco (guia Portugal)

Janeiro 2012