"Não importa para onde vamos ou de onde voltamos. O que importa são as experiências únicas e os cenários surpreendentes com que nos deparamos. Viajamos em busca do que a vida pode nos revelar, num verdadeiro banquete de sabores, cores e sons."
E confesso: não tem graça nenhuma viajar e não contar para alguém, mostrar as fotos, compartilhar....
Voltar para casa também é uma experiência maravilhosa que só podemos sentir quando viajamos.


Várias fotos que ilustram as postagens são retiradas da Net.

Barra do Sahy - São Sebastião - SP



19 a 23 de março de 2013
 
No mês de janeiro, Eurípedes propôs que planejássemos uma viagem a uma Praia, com 3 pernoites apenas. Então, tentei escolher algo que pudesse ter um acesso fácil e rápido. Fernanda, minha sobrinha havia gostado muito de uma viagem que fizera a Barra do Sahy. Decidimos ir até lá conferir e a forma mais rápida de chegarmos lá seria um võo Udi-SP-Udi e em São Paulo alugarmos um carro.

 
 
 Dois perrengues: Chuvas e caminhões graneleiros com destinos aos terminais portuários.

Carro alugado, tínhamos duas alternativas para chegarmos até Barra do Sahy, (Rodovia Rio Santos Km l54). A alternativa 2 era: Congonhas - Ayrton Sena,  Mogi-Bertioga, Rio-Santos, cancelada porque até  a véspera dia 18, Mogi-Bertioga estava interditada por queda de barreira. Restou a  alternativa 1 - Congonhas,  Imigrantes,  Rodovia Cônego Domenico Rangoni e tomar o acesso da Rio-Santos antes de Guarujá. Para nossa surpresa ao final da Imigrantes pegamos um congestionamento gigantesco. Leia aqui Congestionamento . Ficamos durante 6 horas entre estes caminhõezinhos.  E. 8 horas e meia depois de sairmos de Congonhas chegamos em Barra do Sahy.
 
Um problema sério e difícil de resolver num país que ignorou a construção de ferrovias e  a cada ano que passa assiste impotente a inviabilidade do escoamento de produção através de  suas rodovias.
  
 
Barra do Sahy é uma das inúmeras  praias do município de São Sebastião. Praias lindíssimas, próximas à Serra do Mar, que empresta um charme especial à paisagem.




Antes de chegarmos em Barra do Sahy, uma paradinha em Bertioga para um "lanchinho."


 

Ficamos hospedados na Pousada Aroeira que se localiza na única Rua de Barra do Sahy. 
 


Pousada Aroeira faz jus ao nome, possui enormes aroeiras na sua estrutura, provavelmente retiradas da Mata Atlântica.



Um dos vários acessos à Praia.



Barra do Sahy é uma praia pequena, linda, mas.... a parte de areia é inclinada, dificultando a caminhada que eu tanto gosto.

"O mar quando quebra na praia
É bonito, é bonito."


video
 
Veja o movimento destas ondas que incrível!





Não somávamos 10 pessoas na praia, em formato de uma Ferradura que possui a arrebentação nas pedras de um lado e o Rio Sahy do outro lado (poluído).



Antes de se encontrar com o mar, o Rio Sahy banha a Capela que é alcançada por esta passarela




Capela Caiçara, construída em 1920 em devoção a Sant'Ana e Mãe Rainha



Barra do Sahy conta com os restaurantes das Pousadas que não estavam funcionando por estarmos fora de temporada e este chamado Fundo de Quintal, citado pela Veja (comer e beber - Litoral Paulista). Mas.... comidinha ruim. Badejo mal feito, sem tempero, lula a dorê, borrachuda e sem tempero e arroz, feijão e fritas sem tempero. A única coisa que salvou foi a salada. Preço R$ 129,00. Carissimo,



 O interior do Restaurante que tem areia como piso.



A solução existia e estava perto. Nesta pracinha perto da Pousada, tem um Bar. No bar tem cerveja e até Wi Fi. O Márcio está sempre alí. A mãe do Márcio, D. Célia, mora em frente ao Bar.



D. Célia, mãe do Márcio prepara, isca de peixe, camarão empanado, lula empanada, como ninguém e por um preço bem razoável.



 A D. Célia fornece marmitex a R$ 15,00, arroz, feijão, salada e peixe empanado, ou bife bovino, ou de frango. Fica para a próxima, D. Célia. Quando ficamos sabendo já haviamos comido muito camarão.



Conselho muito importante!



O número 48 deve signifcar alguma coisa muito boa, para estar presente em todas as variáveis neste painel que fica em um dos vários caminhos que conduzem à praia



Pertinho de Barra do Sahy fica a Praia da Baleia, que dá para ir caminhando. É só atravessar uma pequena ponte e ir em frente. Esta estrada abaixo leva até a Capela Caiçara já mostrada nesta postagem.



A Praia da Baleia é isto tudo e algo mais. Pela foto dá para perceber porque tem este nome. A areia é plana, água transparente, calma, ideal para ficar, ficar e esquecer do mundo. Não é nada urbanizada ainda, mas deve ser frequentada por uma classe privilegiada, visto os belissimos casarões que foram construídos ao longo da praia. Vi apenas uma pousada e possui restaurante.



Trás os Montes, outra praia tão linda quanto as outras.



Uma alternativa gastronômica é a Praia de Juquehy que fica do lado sul de Barra do Sahy. Em alta temporada é movimentada e point conhecido e apreciado pelos paulistanos.
Jantamos no Beco dos Sabores, em frente ao Shopping.
Nossa escolha .oi: Filé de Robalo em crosta de castanha do Brasil, Risoto de Abacaxi ao alho poró e Linguado Grelhado ao creme de Alcaparras. Estavam deliciosos.



A nota dissonante é a "tragédia anunciada", que se pode visualizar do outro lado da Rodovia Rio Santos, bem em frente a Barra do Sahy. Uma favela que se instalou alí há muitos anos e duplicou de tamanho recentemente, porque seus moradores acreditam que irão conseguir empregos nos estabelecimentos turísticos e na construção civil. Estão rápidamente ocupando as encostas e o governo nada tem feito para impedir que a população seja colocada em risco morando em locais inadequados. Leia mais aqui Favela

Nosso retorno a Uberlândia foi tranquilo, sem congestionamentos.

AVISO AOS CONSUMISTAS- Lá não tem nada pra comprar. Nem bijouteria de conchinhas.
Pode ser que em alta temporada os vendedores de cangas, viseiras, etc apareçam.

Euripedes, Delma e Terezinha. 22/03/2013