"Não importa para onde vamos ou de onde voltamos. O que importa são as experiências únicas e os cenários surpreendentes com que nos deparamos. Viajamos em busca do que a vida pode nos revelar, num verdadeiro banquete de sabores, cores e sons."
E confesso: não tem graça nenhuma viajar e não contar para alguém, mostrar as fotos, compartilhar....
Voltar para casa também é uma experiência maravilhosa que só podemos sentir quando viajamos.


Várias fotos que ilustram as postagens são retiradas da Net.

Belo Horizonte - 2 MG


Setembro  2012
Belo Horizonte, capital do nosso estado, me deixou um pouquinho decepcionada. Há muito tempo eu não ia lá. Neste tempo que fiquei sem visitá-la, houve uma deterioração geral, incluindo as antigas "ilhas de prosperidade." A cidade mantém uma vida cultural intensa como deve ser em toda capital, o que é muito bom, mas a imagem urbana está muito comprometida.  
Quando chegamos a uma cidade, percebemos cores, volumes, edifícios,  ruas, árvores, sombra, etc. E BH me pareceu um caos, desde o caminho do aeroporto de Confins até o centro da cidade. 

Esta imagem é apenas ilustrativa, a foto foi capturada na Net.

As pixações se espalham por toda a cidade como uma erva daninha. Viadutos, passarelas, edifícios, muros são os principais alvos de uma atividade totalmente desnecessária que tem como  único objetivo a poluição visual, que associada à propaganda enfeiam  e devastam os grandes centros urbanos.



Chegando em Confins, você tem duas opções: Taxi e o ônibus executivo que o leva até o Terminal Alvares Cabral. Daí para o Hotel você usa um taxi. Mas é preciso fazer umas continhas. O ônibus executivo cobra quase 20,00 por passageiro, dependendo do local do seu Hotel, você terá que pagar mais um valor  com o taxi. Para uma pessoa sozinha ou um casal, compensa esta opção: ônibus e taxi. Mas se forem 3 ou 4 pessoas, é mais vantajoso tomar o taxi do  aeroporto até o Hotel. É fácil. Converse com o taxista antes e faça as contas.


"Na ida de Confins para BH, à direita, vislumbramos a  Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, nova sede oficial do Governo do Estado de Minas Gerais, desde 2010. Localizado na Rodovia Prefeito Américo Gianetti, no Bairro Serra Verde, (exatamente na divisa das cidades de Belo Horizonte, Vespasiano e Santa Luzia) , o novo complexo de prédios do governo estadual é composto por seis edificações principais, divididas em prédios que abrigam a Sede do Governo, Secretarias de Estado, Centro de Convivência, auditório, prédio de serviços, além de unidades de apoio para equipamentos, praças de alimentação e restaurantes. Ao todo, serão mais de 270 mil metros quadrados de área construída." Um projeto de Oscar Niemeyer.



O Bar "Estabelecimento" fica pertinho do Hotel, e já vira indicação dele na Veja BH então,  fomos até lá experimentar o famoso Bolinho de Arroz com jiló. 


É um bar muito simples. Não tem fachada, apenas um portão amarelo de correr, de onde você passa para um quintal cheio de engradados empilhados, mesas, muita gente e um atendimento muito bom. O bolinho com jiló já participou do quadro "Eu Fui" do Mais Você, exibido na parede junto com outros prêmios, indicações, etc.
.

O Bar possui um site onde você pode saber mais http://www.barestabelecimento.com/




Depois do "Estabelecimento", fomos de taxi para o Teatro Sesiminas assistir "Eu te Amo", peça de Arnaldo Jabor com Alexandre Borges e Juliana Martins. 

Quando estávamos na fila para adquirir o ingresso, presenciei um fato engraçado que vale relatar. Na nossa frente, um casal , mais ou menos da nossa idade. De repente, o homem viu uma plaquinha na bilheteria avisando que estudantes e maiores de 60 anos pagavam 1/2 entrada. Ele então, mostra para a mulher. Ela diz prontamente: Eu não, só se você quiser. Chega a vez dele e ele compra duas inteiras. Pode??????


O espetáculo que deveria começar às 21:00 só teve início às 22:30, dado um atraso no vôo de Alexandre Borges. Deram a alternativa de devolverem o dinheiro do ingresso ou trocá-lo para o dia seguinte. Optamos por esperar. Confesso que a peça não me encantou. Achei meio chatinha com texto fraco, longe da competência de Jabor. Talvez tenha sido a produção. O filme com a Sonia Braga (1981)  recebeu críticas muito positivas na época. 

Domingo, dia 09 de setembro, pegamos um taxi para a Rodoviária, com destino a Inhotim, motivo principal da nossa viagem comemorativa do aniversário do Eurípedes.
 http://www.saritur.com.br/

A viagem da rodoviária até Inhotim durou 1:30. Uma paisagem urbana de dar pena. Muitas pixações, entulhos nas portas das empresas, falta de vegetação, prédios sujos, aridez, desleixo, lixo. Desolação. Fico pensando que talvez  isto pudesse  mudar com a ajuda da população.

Chegando a Inhotim foi só Deslumbramento. É um lugar surreal, creio que único no mundo. Um imenso Jardim Botânico com uma variedade incrível de espécies vegetais, extremamente bem cuidado, limpo. Maravilhoso. Como se não bastasse, vários espaços de exposição de arte contemporânea, tanto a céu aberto como em espaços fechados. 


Totem Gui Tuo Bei, de Zhang Huan com 6m e 40 cm de altura. Uma tartaruga imensa com cabeça humana sustenta o Totem.
 

Hugo França, um dos mais respeitados designers brasileiros tem como maior vitrine e atestado de talento cerca de 130 obras suas espalhadas em Inhotim, como os bancões de madeira (vários) que são uma atração à parte. Impressionantes. 

A cada passo um flash, uma surpresa, uma exclamação. É mágico. 

Fiz uma postagem apenas sobre Inhotim que você pode acessar aqui: Inhotim

Na volta para BH, o ônibus saiu de Inhotim às 17 horas, pegamos um congestionamento o que nos levou a chegar na Rodoviária às 20 horas. Fila imensa para pegar um taxi. Resultado: perdemos o show com Milton Nascimento e Mariza (cantora portuguesa) no Palácio das Artes, em comemoração ao "Ano de Portugal no Brasil".

Segunda feira, dia 10 de setembro 2012, fomos flanar pela Praça da Liberdade e que linda ela é. 
É cercada por múltiplos estilos arquitetônicos. Canteiros bem cuidados, floridos, lindas rosas, vovós, babás, crianças, pessoas que caminham. Uma delícia.



Quer alguma coisa mais bucólica do que um coreto? Amo! Atrás, o Edifício Niemeyer com suas curvas sinuosas que remetem às linhas das serras mineiras. A impressão que passa, para quem vê o edifício da Praça da Liberdade é a de que o prédio tem mais de 15 andares, sendo que na verdade, possui oito.


O Centro Cultural Banco do Brasil, instalado no local do antigo prédio da antiga Secretaria de Estado de Defesa Social, possui salas para exposições, cinema e teatro. 


Todos os edifícios que fazem o entorno da Praça e funcionavam como Secretarias de Estado, foram transformados em Museus e espaços culturais e hoje a Praça da Liberdade sedia o Circuito Cultural com intensa programação.


Edifício onde funcionou a Secretaria de Estado da Educação, hoje é o Museu das Minas e Metais. 
Terça-feira a domingo, das 12h às 18h .


O Palácio da Liberdade foi, durante muitos anos, sede do governo do estado de Minas Gerais. O Palácio da Liberdade atualmente faz parte do Circuito Cultural da Praça da Liberdade e serve para cerimônias solenes de transferência de mandato. Domingo, das 9h às 13h, gratuito. No último domingo do mês, há a cerimônia do hasteamento de bandeiras e troca de guardas, além de apresentação da banda da Polícia Militar

Da Praça fomos caminhando até o Mercado Central onde almoçamos.



Como qualquer Mercado, você encontra um monte de coisas para ver, comprar, etc.


A informação que recebemos foi que o famoso prato do Mercado - Fígado com Jiló - era servido aqui no Botequin do Antônio. Porém, quando constatamos que tem que saboreá-lo de pé, Eurípedes disse: nem morto.

O Restaurante Casa Cheia que fica no segundo andar, também serve o prato, tem cadeiras, mesas e garçom gentil.


Experimenta! Experimenta! Tem que vencer preconceitos:  Fígado e Jiló. 


Casa Bonomi  que fica num casarão de 1902 na Rua Claudio Manoel, 460, para uma refeição leve, lanche. Maravilhosa Padaria com pães finos, diferentes. http://vejabh.abril.com.br/comer-e-beber/comidinhas/casa-bonomi-melhor-padaria-682836.shtml




Esta é outra padaria famosa de BH "Cum Panio", pertinho do Hotel, abre de 3ª a 6ª das 14 às 19 horas. Pasmem. Padaria que não abre de manhã. Fiquei na vontade. Vim embora na terça e ainda não estava aberta. Mas, parece que vale a pena pela qualidade dos paes que são vendidos.  http://www.soubh.com.br/plus/modulos/estabelecimento/detalhe.php?cdgrupo=3&cdestabelecimento=1604

Fim da viagem, que, Graças a Deus, foi ótima. Até a próxima.

Veja postagem mais antiga sobre Belo Horizonte clicando aqui

Inhotim - Minas Gerais

Estivemos em Inhotim no dia 9 de setembro de 2012 para comemorarmos o aniversário do Euripedes.

O Inhotim se caracteriza como uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público). Segundo os moradores de Brumadinho, o local foi uma fazenda pertencente a uma empresa mineradora que, no século XIX, atuava na região e cujo responsável era um inglês, de nome Timothy - o "Senhor Tim", que, na linguagem local, acabou virando "Nhô Tim" ou "Inhô Tim", daí o nome.

Foto http://extra.globo.com/tv-e-lazer/empresario-bernardo-paz

Bernardo Paz, idealizador de Inhotim, é sócio de mais de 20 empresas de mineração e siderurgia — e o maior produtor independente de ferro-gusa do país —, mora no casarão da fazenda, com Inhotim como quintal.


"O Instituto Inhotim localiza-se dentro do domínio da Mata Atlântica, com cerrado nos topos das serras e sua área total é de 786,06 hectares.
A área de visitação do Inhotim tem 96,87 ha e compreende jardins, galerias, edificações e fragmentos de mata, além de cinco lagos ornamentais, com aproximadamente 3,5 hectares de espelho d'água. O jardim botânico tem 4.300 espécies em cultivo e está cercado por mata nativa, com trinta por cento de todo o acervo em exposição para o público. O instituto recebeu do Ministério do Meio Ambiente, em fevereiro de 2011, a classificação oficial de jardim botânico, na categoria C. Nesse jardim, estão cerca de 1.500 espécies catalogadas de palmeira, a maior coleção do tipo do mundo."


Inhotim está situado em Brumadinho, a 60 km (1:30) de Belo Horizonte (MG). A Saritur tem ônibus com saída da Rodoviária de BH às 9h (plataforma F2) e retorno às 16h, de terça a domingo. Fomos em um destes ônibus no domingo, dia 09, que acabou saindo às 9h e 30. Chegamos às 11 horas e retornamos às 17 h. Como era final de semana com feriado (7/9) pegamos um congestionamento enorme e notei que o motorista fez um roteiro diferente da ida, pois passou dentro da cidade de Ibirité, onde deixou uma passageira e gastamos 3 horas na volta. O dobro da ida. Isto nos fez perder o show do Milton Nascimento no Palácio das Artes, marcado para as 19 h. 
Este ônibus pára no estacionamento de Inhotim.
Inhotim funciona de Terça a sexta: 9h30 às 16h30, Sábado, domingo e feriado: 9h30 às 17h30.
Terça – Gratuita
Quarta e Quinta – R$ 20,00
Sexta, sábado, domingo e feriados – R$ 28,00 
Meia-entrada para maiores de 60 anos e estudantes. 
Entrada gratuita para menores de seis anos.



O Inhotim dispõe de um serviço de transporte interno feito por meio de carrinhos elétricos, com rotas predeterminadas e horários definidos. O visitante tem o direito de usufruir do veículo quantas vezes desejar durante a visita. O custo é de R$15 por pessoa.
Por R$350,00, você pode contratar um carrinho exclusivo (cabem 5 pessoas) que fica por sua conta. 
O Inhotim oferece dois tipos de visita temática. Ambas são gratuitas.

- Visita Temática Ambiental
Uma visita orientada de 1h30 de duração. 
Horários: Sábado e Domingo, às 10h30 (saída da Recepção) e às 14h30 (saída do Tamboril).

- Visita Temática de Arte
A Visita Temática de Arte consiste em proporcionar o encontro entre o educador e o público visitante para discussão sobre artistas e obras de arte do acervo.
Horários: Sábados, Domingos e feriados, às 14:30h (saída da Recepção), duração de 1h.

Não participamos de nenhuma delas, porque não explorei devidamente o site antes de ir e não fiquei sabendo da opção. Creio que tem que ser marcada com antecedência.

A Visita


Desembarcando no estacionamento, imediatamente uma coisa nos chama a atenção. Não tem árvores plantadas no estacionamento. Os carros ficam sob um sol escaldante num parque que tem milhares de espécies vegetais.(Foto 1) 
Do estacionamento até a Recepção/bilheteria, passamos por uma linda alameda .(Foto 2)
Na recepção, além das bilheterias, lojinhas, banheiros você encontra os mapas para conhecer o Parque. (Foto 3 e 4)
Se quiser, sente se num dos enormes bancos de madeira para explorar o mapa e escolher o que você deseja conhecer primeiro. Recomendo que, na primeira visita, faça um estudo detalhado das obras em exposição e escolha o que mais lhe interessa, para não perder tempo e aproveitar melhor o passeio. 

Conhecendo Inhotim. (Este é um roteiro de setembro de 2012, pois as obras de arte temporárias são trocadas.

As obras expostas na parte interna das Galerias não podem ser fotografadas, portanto, as fotos aqui publicadas foram capturadas na Net. 

Saindo da Recepção, a esquerda: 


A - Entrada da Galeria Praça - Obra de John Ahearn e Rigoberto Torres - "Rodoviaria de Brumadinho" e " Abre a Porta " (Fotos 1 e 2)
1- Galeria Praça - obras de Alexandre da Cunha, Ernesto Neto Janet Cardiff e Janine Antoni. (sem foto)
R- Lygia Pape - Ttéia. Foi a obra que mais me tocou. (foto 3- de outra exposição capturada na Net)
4- Olafur Eliasson - principio de um caleidoscópio. (Fotos 4 e 5)


3-Dominique González-Foerster, Promenade, 2007, instalação sonora. (Foto 1)
E-Valeska Soares -(Foto 2)
F-Galeria CARDIFF & MILLER - 98 caixas de som estrategicamente posicionadas em um galpão para a obra "O assasinato dos Corvos". Um sonho narrado na voz de Janet Miller reproduzido através do gramofone. (foto 3 de uma exposição em Berlim)
F-Omeleteria ao lado da Galeria Cardiff & Miller (Foto 4)
-Viveiro Educador - plantas de diversas partes do mundo em um espaço destinado à manutenção do acervo botânico, pesquisa científica, conservação e educação ambiental. (Foto 5)
U- Galeria Tunga - ( Foto 6) É uma das Galerias mais bonitas do Parque. Toda de vidro, voltada para o lago de um lado e para a mata do outro. Bernardo Paz estava no terraço da galeria conversando com turistas estrangeiros. 


B- Galeria Cildo Meireles (Foto 1)
C- Rivane Neuenschwander - fotografias montadas sobre alumínio.
D-Galeria Adriana Varejão -( Foto 2) Adriana Varejão foi casada com Bernardo Paz e é uma reconhecida artista plástica brasileira que expõe nos museus mais famosos do mundo.
2-Tamboril, árvore de grande porte e longevidade, com aproximadamente 90 anos. (Foto 3) 
-Cachorro Quente e Ponto de embarque do Carrinho elétrico. (Foto 4)


5-Palmeira Pata de Elefante ( foto 1)
I- Galeria Fonte (Foto 2)
Lanchonete ao lado da Galeria (já não tenho certeza se é esta) (Foto 3)
10-Jarbas Lopes - Troca troca Fuscas (Foto 4)
5- Jorge Macchi - "Piscina" (Foto 5)
H- Galeria Cosmococa - Helio Oiticica e Neville d'Almeida (Foto 6)


9- Giuseppe Penone - Elevazione O trabalho consiste em árvore, uma castanheira centenária, modelada e fundida em bronze, que se sustenta a alguns metros do chão por estreitos pés de aço. Ao seu redor, foram plantadas cinco árvores da espécie Guaritá, cujas copas devem convergir de forma a criar espaço arquitetônico para a estrutura de bronze. “A ideia é que o crescimento das árvores adjacentes mude o caminho da escultura. Ao crescerem, as árvores vão envelopar as estruturas de metal que suportam a árvore de bronze e ao se fundir vão, juntas, formar uma só cúpula. Mas este é um processo que deve levar cerca de 50 anos”, pondera Rodrigo Moura. (Foto 1)
7 e 8 - Chris Burden - (Foto 2 ) 
T - Carlos Garaicoa
G- Marilá Dardot - A Origem da Obra de Arte, 2002, 150 vasos de cerâmica em forma de letras (Foto 3)
6- Rirkrit Tiravanija - (Foto 4)
- Outra Lanchonete


Ao Centro, partindo da Recepção
-Enfermaria e Espaço Tamboril
-Bar do Ganso ( Foto 1)
-Restaurante Tamboril (Foto 2 e 3)
14-Zhang Huan - Peace, bronze e ferro (Foto 4)
18-Tunga

Saindo da Recepção, à direita.


Centro de Educação e Cultura Burle Marx (Teatro, Semi Arena, Ateliê 1 e 2 ), 
Café do Teatro (Foto 1)
24-Yayoi Kusama (Foto 2)
11- Dan Graham - Bisected triangle, Interior curve, vidro espelhado e aço inoxidável (foto 3)
23-Restaurante Oiticica (foto 4)
Q-Galeria Lago


P-Galeria Marcenaria (Foto 1)
22-Edgard de Souza (Foto 2)
13-Cildo Meireles (Foto 3)
12-Simon Starling (Foto 4)
15-Waltercio Caldas (Foto 5)
16-Paul MacCarthy
17-Edgard de Souza (Foto 6)

(Estes números são os que estão na sequêcia do Mapa. Muito confuso.


19-Olafur Eliasson (Foto 1)
Deck
L-Galeria Doris Salcedo (Foto 2)
K-Galeria True Rouge
Lanchonete
21-Amilcar de Castro (Foto 3)
J-Galeria Mata ( Foto 4)


20-Tunga
O-Doug Aitken - o barulho da terra (Foto 1)
M-Galeria Miguel Rio Branco (Foto 2)
Lanchonete
N- Matthew Barney (Foto 3 e 4) O trator abraça a árvore. É muito linda esta instalação.

Nós não vimos algumas Galerias e algumas obras mostradas acima, um pouco por cansaço e até por desinteresse, dado o inusitado de algumas obras visitadas.

O Jardim Botânico


Totem Gui Tuo Bei, de Zhang Huan com 6m e 40 cm de altura. Uma tartaruga imensa com cabeça humana sustenta o Totem.







Hugo França, um dos mais respeitados designers brasileiros tem como maior vitrine e atestado de talento cerca de 130 obras suas espalhadas em Inhotim, como os bancões de madeira (vários) que são uma atração à parte. Impressionantes. 

Helio Oiticica -





Capela.

Saiba mais sobre este maravilhoso Espaço, clicando aqui http://www.inhotim.org.br/

Setembro 2012 - Delma e Euripedes